A inovação na saúde se faz cada vez mais presente. Se há algum tempo a adesão a tecnologias e recursos inovadores era algo constante nesse setor, a chegada da pandemia acelerou ainda mais!

Desse modo, novos recursos passaram a ser incorporados para contornar a situação e tornar as rotinas médico-hospitalares mais eficientes e seguras.

Exemplo disso é a telemedicina, que passou a ser incorporada como forma de acompanhar e monitorar pacientes e trocar informações pertinentes entre a própria equipe médica.

Fato é que desde o ano passado, a medicina e suas áreas subjacentes (como a biomedicina, por exemplo), ganharam ainda mais notoriedade e, com isso, as inovações no setor não param!

O que você precisa saber sobre inovação na saúde

Dispositivos de ultrassom do tamanho de um punho e que se conectam a telefones, realidade virtual que acelera a cura na reabilitação, Inteligência Artificial para detectar tumores pulmonares. Essas são apenas algumas das inovações que estão transformando a medicina em um ritmo notável.

Ninguém pode prever o futuro, mas ele pode pelo menos ser vislumbrado nas dezenas de invenções e conceitos que se apresentam diariamente como forma de aperfeiçoar o atendimento médico e melhorar a jornada do paciente.

Assim como as pessoas por trás desses aparelhos, eles estão na vanguarda dos cuidados de saúde.

Confira abaixo algumas tendências de inovação que estão chegando, acelerando e aperfeiçoando a saúde pública e privada!

Big Data

Existem 7,5 bilhões de humanos e dezenas de milhões de nós monitoram nossa saúde com aparelhos ‘wearables’, como relógios inteligente e dispositivos mais tradicionais, como monitores de pressão arterial.

Se houvesse uma maneira de agregar todos os dados de alguns milhões de nós e torná-los anônimos, mas pesquisáveis, os pesquisadores médicos teriam uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento de medicamentos, estudos de estilo de vida e muito mais.

A Evidation, empresa de Big Data com sede na Califórnia, desenvolveu essa ferramenta, com informações de 3 milhões de voluntários fornecendo trilhões de pontos de dados.

A evidência faz parceria com fabricantes de medicamentos como Sanofi e Eli Lilly para analisar esses dados; esse trabalho já levou a dezenas de estudos revisados ​​por pares, sobre assuntos que vão desde sono e dieta a padrões de saúde cognitiva.

Mayo Clinic e Google: Aperfeiçoamento do relacionamento com paciente

Em um movimento que fortalece ainda mais o relacionamento crescente entre a Mayo Clinic e o Google, a empresa de tecnologia com sede em Mountain View, Califórnia, anunciou que está abrindo um escritório permanente na cidade natal da Mayo Clinic, Rochester, Minnesota.

A colaboração para transformar o atendimento ao paciente já resultou em processos aprimorados de entrega de radioterapia, desenvolvimento de uma fábrica de IA e movimentação de 10 milhões de registros de pacientes para a nuvem.

Biobanco global mais diversificado

Uma grande limitação ameaça atrapalhar a era da medicina personalizada: os descendentes de caucasianos são uma minoria na população global, mas representam quase 80% dos sujeitos na pesquisa do genoma humano, criando pontos cegos na pesquisa de drogas.

Mas o Dr. Abasi Ene-Obong fundou a 54gene para mudar isso. Com o nome de 54 países da África, a startup baseada na Nigéria está adquirindo material genético de voluntários em todo o continente, para tornar a pesquisa e o desenvolvimento de medicamentos mais equitativos.

De acordo com o CEO da startup, se as empresas vão lucrar com o desenvolvimento de medicamentos comercializáveis ​​com base no DNA do povo africano, a África deve se beneficiar: portanto, ao fazer parceria com as empresas, a 54gene prioriza aquelas que se comprometem a incluir os países africanos nos planos de marketing de quaisquer medicamentos resultantes.

Inteligência Artificial para diagnóstico de câncer

Os sintomas do câncer de pulmão geralmente não aparecem até seus estágios finais, quando é difícil de tratar.

A triagem precoce de populações de alto risco com tomografias computadorizadas pode reduzir o risco de morte, mas traz riscos próprios.

Os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos descobriram que 2,5% dos pacientes que receberam tomografias computadorizadas suportaram posteriormente tratamentos desnecessariamente invasivos – às vezes com resultados fatais – depois que os radiologistas diagnosticaram erroneamente falsos positivos.

Shravya Shetty é a líder de pesquisa de uma equipe do Google Health que, nos últimos dois anos, construiu um sistema de IA que supera os radiologistas humanos no diagnóstico de câncer de pulmão.

Depois de ser treinado em mais de 45.000 tomografias computadorizadas de pacientes, o algoritmo do Google detectou 5% mais casos de câncer e teve 11% menos falsos positivos do que um grupo de controle de seis radiologistas humanos.

Atendimento online ao paciente

Quando um paciente precisa passar por uma consulta, seja de rotina ou não, ao chegar no hospital, deve passar uma série de informações e apresentar exames prévios ao médico.

Esse processo envolve uma rotina que entre a chegada do paciente à sua saída, abrange diferentes profissionais: atendentes para tomar os dados, enfermeiro para fazer triagem, médico para o atendimento, dentre outros.

Mas com certas soluções inovadoras, é possível acelerar essa rotina – sem perder eficiência e segurança.

Graças aos sistemas integrados, é possível gerir toda a jornada do paciente pelo software, armazenando informações e dados importantes, aperfeiçoando a experiência do paciente e a gestão do hospital, clínica, laboratório ou consultório.

O MEDX oferece todo o suporte para a realização do atendimento online, por exemplo. Essa plataforma é totalmente em nuvem, o que permite que seja acessada de qualquer lugar e em qualquer máquina, com o objetivo de otimizar o tempo dos médicos e demais profissionais de saúde, bem como modernizar os processos de atendimento dentro do consultório ou clínica, obedecendo à Lei Geral da Proteção de Dados.